Esquerda

Um espírito guerreiro, cujo modo de ser é de quem conquistou a liberdade de viver para o amanhã, enquanto sente a necessidade de transmitir sua impressão original da vida (ao se esforçar para que os outros sintam algo que tenha alguma semelhança com a sua experiência singular), consegue manter firme a sua posição na existência, que é a resistência à manipulação que conserva o “reino da estupidez”. Generoso, esse modo de ser tem certeza que faz parte de um comunismo superior, ou seja, do grande e sagrado comunismo cosmológico: sem estoques, sem arquivo erudito, ele alegremente compartilha sua experiência com o mundo... E qual é esse mundo? Inevitavelmente é o “reino da estupidez”, porque é nesse mundo que um sopro de vida pode tocar e mover alguns indivíduos que não suportam a sua própria estupidez e o seu desperdício de tempo. Certamente, isso é uma tarefa árdua, pois é notório que os que estão hipnotizados pelos mais diversos prazeres do “reino da estupidez” não possuem o tempo necessário para receber algo que parece ser incompreensível, sejam eles banqueiros, pastores, políticos, intelectuais ou militantes de esquerda. Entretanto, alguns destes indivíduos podem ser utilizados, com a devida prudência, como suportes para práticas políticas de uma esquerda superior. Chamamos de esquerda superior tudo o que concerne à nossa capacidade de resistirmos diante do “mundo dos estúpidos”, para conquistarmos, afinal, o direito de vivermos como espírito guerreiro, que é aquele que “põe a faca entre os dentes e vai à luta, com a absoluta confiança de que seguirá presente para sempre”. Sentir alguma coisa do que foi transmitido por esse modo de ser genuíno nos encoraja a participar ativamente de um comunismo superior, onde não existe Estado e classes sociais, pois esse comunismo é dominador desde sempre, esteve sempre aí, diante de nós – e, sem dúvida, também em nós... É por isso que o “mundo dos estúpidos” deve ser atingido impiedosamente com simplicidade e sagacidade, ao invés de ser reforçado por narrativas liberais da direita ou reformado por uma esquerda que não consegue se livrar de narrativas tutelares, de uma concepção de igualdade ainda aderente à velha noção de indivíduo. Mas a esquerda superior, ao disseminar arte, filosofia e ciência, permite que alguns seres estupidificados possam ter a consciência de que todos nós somos, de fato, iguais – trata-se da igualdade na continuidade, que é tornada conhecida por aqueles que se reinventam, que efetuam a despedida, que sabem que ninguém está separado do Sempre... Uma outra civilização humana pode ter como base esse comunismo superior.

Comentários

Lucas Casagrande disse…
"Chamamos de esquerda superior tudo o que concerne à nossa capacidade de resistirmos diante do 'mundo dos estúpidos', para conquistarmos, afinal, o direito de vivermos como espírito guerreiro, que é aquele que 'põe a faca entre os dentes e vai à luta, com a absoluta confiança de que seguirá presente para sempre'.

Ótimo, Amauri! =)